Hipotireoidismo

Hipotireoidismo

A tireóide é uma pequena glândula endócrina que se localiza na região anterior do pescoço. Essa glândula possui um importante papel no controle do metabolismo. A tireóide produz hormônios T3 triiodotironina e T4 tiroxina, responsáveis pelas reações que garantem os processos bioquímicos e de geração de energia do organismo.

O hipotireoidismo ocorre quando a tireóide produz esses hormônios abaixo dos níveis considerados normais. Quando há quantidade insuficiente do hormônio circulando na corrente sangüínea, o organismo trabalha mais devagar, ocasionando problemas de saúde.

A doença é mais comum em mulheres com mais de 50 anos. Caso a paciente apresente o problema antes desse período, pode ocorrer irregularidade menstrual (incluindo a cessação da menstruação), infertilidade e aparecimento de leite nas mamas fora do período de gestação.

Diagnóstico

O diagnóstico do hipotireoidismo é feito através dos exames de sangue T3, T4 e TSH, que medem o nível hormonal que o corpo está produzindo.

Em pacientes com cirurgia prévia, pode também ser realizada a ultra-sonografia da tireóide. Deve também ser analisado se há problemas com a quantidade de lipídios no sangue do paciente — condição que está fortemente associada ao hipotireoidismo.

Sintomas do Hipotireoidismo

  • Falta de apetite
  • Depressão
  • Fraqueza muscular
  • Cansaço físico
  • Raciocínio lento
  • Queda de cabelos
  • Unhas secas e quebradiças
  • Intolerância ao frio
  • Sonolência
  • Diminuição do ritmo cardíaco
  • Prisão de ventre

Causas do Hipotireoidismo

O hipotireoidismo pode ter diversas causas. A mais comum é a que decorre da Doença de Hashimoto. Esta doença ocorre quando o organismo, por razões desconhecidas, não reconhece a tireóide como parte do próprio corpo e o sistema imune prejudica o seu funcionamento. A tireóide, assim alterada, produz menos hormônios. 

O hipotireoidismo também pode aparecer em pessoas que se trataram de hipertireoidismo (aumento da função tireoideana). Outras causas incluem tratamento com iodo radiativo, radioterapia ou infecção da tireóide por determinados vírus ou bactérias.

Algumas crianças nascem com hipotireoidismo por mau funcionamento congênito ou por total falta da glândula. Estas crianças devem ser tratadas imediatamente e por toda a vida para que possam se desenvolver normalmente.

Tratamento do Hipotireoidismo

O tratamento escolhido depende da avaliação das causas, por isso é individual para cada paciente.

O tratamento mais comum é a reposição hormonal. Antes de iniciar a reposição, o médico deverá fazer exames para saber qual é a dosagem correta de hormônio que o paciente deverá tomar.

O hormônio sintético da tireóide usado no tratamento é chamado de levotiroxina sódica. A levotiroxina funciona no organismo exatamente como o hormônio natural da tireóide.

Devem ser feitos exames clínicos e laboratoriais periódicos para manter a dose bem ajustada.

Para a grande maioria dos pacientes, o hipotireoidismo é crônico, portanto o tratamento deverá ser feito por toda a vida.

Prevenção

É importante realizar um diagnóstico precoce, pois quanto antes começar o tratamento, melhor. Infelizmente, não há uma prevenção primária específica. Entretanto, você pode tomar algumas precauções para evitar a doença:

  • Faça exercícios físicos regularmente.
  • Ingira sal iodado regularmente.
  • Faça exames de sangue T3, T4 e TSH regularmente.
  • Adote uma dieta alimentar equilibrada. É engano imaginar que o hipotireoidismo seja fator responsável pelo ganho de peso, porque as pessoas costumam ter menos fome quando estão com menor produção dos hormônios tireoidianos.
  • Evite o cigarro.

Hipertireoidismo

O hipertireoidismo é o “contrário” do hipotireoidismo. O hipertireoidismo acontece quando a glândula tireóide produz os hormônios T3 e T4 em excesso. O aumento da produção desses hormônios causa problemas sérios para a saúde (como insuficiência cardíaca, levando até a morte).

Que outro assunto você gostaria de buscar?