Gravidez

Gravidez

A gravidez é um período muito especial na vida da mulher. Nesse período ocorre o desenvolvimento do embrião dentro do organismo feminino. Esse processo normalmente dura 39 semanas, contadas após o último ciclo menstrual. Para que a gravidez ocorra, é necessário que o óvulo seja fecundado por um espermatozóide e que estes sejam identificados pelo organismo materno.

 

Cuidados Antes de Engravidar

Antes de a mulher engravidar, é importante fazer um exame ginecológico completo, que inclui: exame preventivo de câncer de colo de útero, ultra-sonografia dos órgãos genitais e, dependendo da idade, ultra-sonografia e/ou mamografia para estudar as condições das mamas.

Além disso, pode ser bastante útil fazer uma consulta com um clínico geral. Isso pode ajudar a detectar a presença de alguma doença associada a problemas cardíacos, renais ou hepáticos que possam prejudicar a gravidez.

Também é comum fazer exames de urina tipo I, pois infecções urinárias podem provocar aborto e óbito fetal. Outros exemplos comuns: exame parasitológico de fezes, grupo sangüíneo e hemograma completo. Este último é importante, pois se for detectada anemia ou qualquer outra enfermidade sanguínea, é preciso que estas sejam tratadas antes da gravidez.

Outro exame importante é o de glicose — visto que o diabetes pode complicar muito a gravidez, especialmente no último trimestre.

Ainda fazem parte dessa avaliação inicial as reações sorológicas para sífilis, AIDS, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, pesquisa de hepatites e, se necessário, o exame de PPD para tuberculose.

Sintomas da Gravidez

No momento em que a mulher está grávida, seu organismo passa por alterações que se acentuam a cada dia de acordo com o desenvolvimento do bebê. Dentre todos os sinais que uma mulher percebe ao engravidar, o mais imediato e claro é a cessação da menstruação.

Outros sinais secundários que evidenciam a gravidez: enjôo, mal-estar, mamas inchadas e sensíveis, cansaço diário, pressão na bexiga, fadiga, aceleração dos batimentos cardíacos, ansiedade, estresse, prisão de ventre, fome em excesso, inchaço, irritabilidade, aumento da necessidade de urinar, aumento da secreção vaginal, rejeição a cheiros e outros.

Primeira Gravidez

Gravidez

Quando a mulher enfrenta sua primeira gravidez, ela se sente assustada e insegura porque sabe que novas responsabilidades virão. São inúmeras dúvidas, preocupações, adaptações e anseios que rodeiam essa fase. Tudo isso deve ser encarado de maneira positiva — todos esses sentimentos são naturais, já que este é um momento desconhecido e de importantes transformações.

Nesse momento de descobertas e preocupações, a mulher fica extremamente ansiosa para conhecer as características do bebê, fica preocupada com o parto, com a saúde do bebê e com medo de não conseguir desempenhar bem seu papel de mãe.

Para tais desconfortos, é importante ter um bom acompanhamento pré-natal, dormir bem, estabelecer horários para alimentação, consumir alimentos naturais, realizar rigorosamente os exames prescritos pelo médico. Desta forma, a gestante terá suas dúvidas resolvidas e se sentirá mais confortável para outras atividades como: preparar o enxoval, o quarto, os móveis e tudo aquilo que o bebê e ela própria precisarão para se relacionar nos primeiros contatos após o nascimento.

Fases da Gravidez

Gravidez, apesar de não ser doença, é uma fase da vida que requer cuidados muito especiais. Do ponto de vista médico, costuma ser dividida em três trimestres.

O primeiro talvez seja o que mais apresenta reações indesejáveis. A gestante fica sonolenta e com a sensibilidade à flor da pele. Os seios dilatam-se e ficam doloridos. Algumas têm enjôo, náuseas e vômitos.

No segundo trimestre — o mais tranqüilo dos três — a mulher se sente mais disposta e o mal-estar desaparece. Normalmente, se não fosse pela barriga, talvez nem se notasse diferença no seu jeito de ser.

O terceiro trimestre parece ser o mais demorado para passar. Nesse período, as visitas ao médico têm de ser mais freqüentes e os cuidados redobrados. O volume do útero aumenta muito, o que causa alterações não só na aparência, mas na anatomia e fisiologia da mulher.

O apoio do marido e da família é fundamental para que a mulher leve a gestação com tranqüilidade e confiança.

Nutrição na Gravidez

Uma nutrição saudável e equilibrada garante um melhor desenvolvimento do bebê e uma gestação mais tranqüila para a mulher.

A nutrição desempenha um papel fundamental na gestação. Foi demonstrado através de testes laboratoriais que dietas deficientes causam efeitos prejudiciais tanto à mãe quanto ao feto. Foi constatado por diversos estudos que a má nutrição materna pode ser a causa de deficiências sérias no crescimento do bebê — resultando em bebês pequenos e de baixo peso.

As conseqüências da má nutrição para o feto dependem do período, severidade e duração da restrição dietética. Doses adicionais de proteínas, vitaminas e minerais são bastante recomendadas para o crescimento fetal.

Cuidado, porém, para não comer em grande quantidade. A qualidade do alimento é muito mais importante que a quantidade. Até o segundo trimestre, o recomendado são apenas poucas calorias a mais do que o habitual. Por exemplo, apenas um copo de iogurte e uma barrinha de cereal a mais. Depois dessa fase inicial, pode-se aumentar a quantidade de frutas, verduras e fibras.

Amamentação

Gravidez

O leite materno contém açúcar, gordura, vitaminas, água e todas as proteínas que o seu bebê necessita para ser saudável. O leite é um alimento completo e provê todos os nutrientes necessários nos primeiros meses de vida.

O aleitamento materno deve ser iniciado logo após o nascimento. As mamadas acontecem de duas em duas horas ou sempre que o bebê chorar ou apresentar fome. O tempo de cada mamada normalmente é de vinte a trinta minutos. Os bebês têm mais fome quando mamam no peito pelo fato do leite materno ser digerido com mais facilidade que os leites industrializados.

Até os seis meses de idade o bebê deve ser amamentado pela mãe e não precisa de outro alimento, pois além do leite materno ser forte, é o mais indicado. Após esta idade, devem ser introduzidos outros alimentos simultaneamente ao aleitamento, sem a suspensão deste.

Durante a amamentação é importante que a mãe coloque o bebê bem próximo ao seu corpo: procure uma posição confortável, use travesseiro para apoio e certifique se o bebê está com fome.

Recomendações Para Mães que Amamentam

  • Evitar grandes quantidades de café, chá preto, chocolate, alimentos com corante, alimentos light e adoçantes;
  • Não exagerar em temperos de odor forte, como o alho;
  • Não fumar nem fazer uso de bebidas alcoólicas;
  • Comer peixe duas a três vezes na semana;
  • Não tomar medicamentos sem orientação médica, pois algumas drogas podem contaminar o leite.

Que outro assunto você gostaria de buscar?